OS TRUQUES DAS MULHERES - POR VITTORIO MEDIOLI, O "ARTICULISTA" QUÁ QUÁ QUÁ QUÁ QUÁ

|

Nada como ter o próprio jornal e poder desfrutar de um espaço privilegiado para a autopromoção e, principalmente, para o deleite de escrever a asneira que vier à cabeça sem ser repreendido por ninguém, pelo contrário, ainda ser aclamado como "articulista" pelos seus sabujos. É tudo o que necessita o ego inflado de um homem minúsculo em pensamento e em bom senso e que não se cansa dos holofotes. Mas antes de adentrar neste assunto, tenho o meu próprio ego para massagear.


VAMOS PREAMBULAR

Primeiramente, dedico esta postagem ao blog O ESQUERDOPATA que já estava na minha lista de leitura e, agora, também acompanha o Língua de Trapo, seja bem vindo.

Segundo, a homenagem não é pela mera troca de gentilezas entre blogueiros, é que o Esquerdopata foi um dos primeiros blogs que ontem tratou do barraco que alguns políticos, autoridades e cidadãos italianos estão fazendo por conta da decisão tomada pelo Ministro da Justiça, Tarso Genro e pelo Presidente Lula, de concederem status de asilado político ao ativista italiano Cesare Battisti e, que a mídia nacional, sempre ela, deu eco para, mais uma vez, contar esta estória ao seu próprio modo.

Eu não quero aqui questionar o direito do povo italiano contestar o ato de soberania do governo brasileiro nem tampouco de buscar, pelas vias legais, sua revogação. O que não podemos admitir são as galhofas que estão sendo propaladas, principalmente pelo vice-presidente da Comissão das Relações Exteriores do Senado da Itália, Senador Sergio Divina, que não satisfeito em defender um boicote turístico ao Brasil soltou esta pérola:

"Quando forem fazer uma viagem ao exterior, não levem em consideração o Brasil, país que nós italianos demos tanto, e tivemos como resposta esse afronto."

Certamente o Senador é um piadista profissional, mas incapaz de reconhecer nos fatos históricos a verdade sobre a emigração italiana para as américas durante os séculos IXX e XX. Faça-me rir pretensioso Senador, mas não afronte a nossa inteligência, pois seu povo estava passando fome em seu próprio país e sendo expulso de suas terras seja pelo expansionismo industrial, pelos conflitos internos ou pelas guerras. Não devemos nada a vocês, muito pelo contrário, Brasil, Argentina e Estados Unidos acolheram um povo abandonado à sorte por seu próprio governo e compatriotas.

E nem vou me estender para outras manifestações sobre o caso Battisti que pedem, dentre outras coisas, o boicote de produtos brasileiros e até a suspensão de relações diplomáticas, pois beiram ao absurdo.

Por outro lado, seria oportuno lembrar a estes políticos italianos, aos estafetas da mídia golpista brasileira e ao Soltador Geral da República, Ministro Gilmar Mendes, que o Brasil está infestado de mafiosos provenientes da Itália, que operam livremente nos estados do nordeste como se fossem cidadãos de bem. Estão envolvidos com tráfico de drogas, de mulheres, lavagem de dinheiro dentre outros delitos não menos importantes. Isto tudo sem falar de Salvatore Cacciolla, cidadão italiano que roubou o quanto pode dos cofres públicos e se refugiou na Itália, já condenado pela justiça brasileira e, só foi preso quando ousou passear em Mônaco com sua namorada. Ao tipo de crime cometido por Caciolla, as penas deveriam ser tão duras quanto a que foi imputada a Battisti, pois a extensão do seus delitos, por se tratar de dinheiro público, privou muito mais brasileiros do direito à vida do que as quatro mortes que são imputadas à Battisti por meio de um tribunal de exceção. Mas deixa isso para lá, senão vou me perder em divagações.


AGORA SIM, UM RAIO X NO "ARTICULISTA" MEDIOLI

Terminado o desabafo preambular, vou tratar nesta postagem de um cidadão italiano especial, que se instalou no Brasil na década de 1970, fez fortuna no ramo de transporte de veículos, foi Deputado Federal por quatro mandatos e possui até um jornal aqui em Belo Horizonte, dentre outros inúmeros negócios do seu conglomerado de empresas. Trata-se de Vittorio Medioli, que por aqui também já esteve às voltas com a justiça conforme a Ação Penal n. 2007.38.00.029334-0 - 4ª vara federal de Minas Gerais – Crimes contra sistema financeiro nacional (Lei 7492/86) e, também, no meio em que atua, é conhecido como o barão do transporte de veículos e já foi, inclusive, investigado e denunciado pela Polícia Federal e pelo Ministério Público dos Estados do Paraná, Rio Grande do Sul e de São Paulo por formação de cartel.

É inevitável dizer que Medioli fez do município de Betim, domicílio, sede do seu conglomerado de empresas e seu curral eleitoral, coincidentemente ou não, nos conduz ao imaginário do cinema americano e da idéia das das "famiglias" italianas, daí, talvez, tenha surgido a alcunha de "capo di tutti capo" ou, simplesmente, mafioso, como já o acusou outro grande jornal de Belo Horizonte.

Feitas as apresentações, o que importa mesmo e dizer que Medioli não conteve seu machismo nem tampouco a sua tosquidez ao se aventurar a escrever o editorial que dá título a esta postagem. A peça produzida por Medioli não revela outra coisa senão um insulto violento às mulheres, que são postas em seu texto como objetos de consumo cujo valor útil está na beleza, nas formas e na jovialidade. Sem falar do mal gosto e do chauvinismo que evidencia uma personalidade com moral distorcida, sob a ótica Freudiana, Medioli não escaparia de um cruel e devastador diagnóstico.

Olhando pelo lado da civilidade, o mínimo que se espera de um homem público, com tamanho patrimônio e influência sobre as pessoas, é uma postura diversa dos seus "fratellos" que vêm ao Brasil e povoam as praias nordestinas à caça de sexo barato com adolescentes semi-analfabetas, drogas e bebidas. Eu já morei no nordeste e conheço muito bem este perfil, é desprezível.

Mas por trás de toda esta bossalidade e selvageria verbal, certamente está o intuito de fazer proselitismo político para seu aliado Aécio Neves, numa tentativa tosca e descortez de, imaginem, ofuscar e caricaturar a Ministra Dilma Roussef para o leitor, como se fosse ela uma mulher sem beleza, carisma ou conteúdo, que dependesse exclusivamente dos recursos da medicina estética para construir um personagem ou uma casca com objetivos outros.

É muita ousadia deste sujeito, pois quem sabe um pouco da história da Ministra Dilma Roussef e de tantos outros que sofreram na carne, na mente e na alma os horrores dos porões da ditadura, sabe que as expressões do seu semblante são marcas impostas pela brutalidade de homens, que como este facista ou daqueles do bando político do qual faz parte, mancharam a história deste país.

Devo parar por aqui, pois já não consigo mais me expressar sem ter que recorrer à virulência das palavras e, assim, deixo ao juízo dos leitores e dos companheiros da blogosfera, o dito editorial e seu único comentário em mais de 48 horas.



LAMBIDO NA ÍNTEGRA DO JORNALECO “O TEMPO”

Os truques das mulheres

Olhando para as fotos "antes" e "depois" da ministra Dilma Rousseff, devo mesmo confirmar a frase sarcástica e cruel que li recentemente, "Hoje feia é só a mulher pobre", ou seja, aquela que não tem acesso a um bom cirurgião plástico.

Acrescente que os esteticistas se encarregam também de amaciar cabelos e dar aqueles retoques mais profundos na pele que, em seguida, um bom maquiador sabe valorizar ao extremo.

Descobrir a idade de uma mulher tornou-se cada vez mais uma loteria. Não é a aparência exterior da mulher rica, como certamente é a ministra Dilma, mas os escrutínios indiretos que passam pela idade dos filhos, das amigas da turma, dos tempos de colégio e outras tantas que podem revelar a grosso modo a idade verdadeira.

Antigamente existia o recurso de esticar que, por fim, deixava o semblante com pele de tambor a quem tinha "esticado" duas ou três vezes a mesma face. Hoje a "ciência" se aproveita de fórmulas mágicas que vão do silicone ao botox e passam por recursos sofisticadíssimos. Quem possui recursos de R$ 20 mil a R$ 30 mil pode esperar um efeito Dilma.

Porém a beleza, como afirmava o abade, é resultante de uma conjugação interna de fatores que passam pela bondade, generosidade, caridade, humildade e outras virtudes modeladoras das aparências.

O sorriso é um exercício obrigatório do rosto bonito, ainda mais que uma maquiagem. Se a neutralidade já serve a não deturpar uma aparência, o sentimento de ódio, rancor, vingança, perseguição, exploração, de prazer pelo sofrimento alheio devastam o olhar, e um olho sem brilho ou ternura não deixará alcançar a meta que a pessoa persegue ao desejar ser atraente e bonita.

O dinheiro permite comprar um rosto, mas nunca o brilho do olhar. Portanto, analisar os olhos separadamente, primeiro o direito ligado aos desejos e à materialidade, depois o esquerdo tabernáculo dos sentimentos e das vibrações da alma, já pode dar boas pistas. Mas o que não tira as dúvidas do estofo da pessoa é mesmo o sorriso, um sinal inconteste de tudo aquilo que ferve no fundo da pessoa.


Dilma pode ter ganho uma dose a mais de autoestima, mas continua aquela que era antes da plástica. Se a mudança não partir do âmago, não será a casca a mudar o conjunto.
E-mail: vittorio.medioli@otempo.com.br


LAMBIDO NA ÍNTEGRA DA CAIXA DE COMENTÁRIOS DO JORNALECO “O TEMPO”. DEVO RESSALTAR QUE É O ÚNICO.

Comentário (1)

Parabéns..! Excelente o texto do articulista Vittorio Medioli, " O truque das mulheres" onde com inteligêcia e fina ironia o autor descreve que se a mudança não acontecer também, no "interior" da pessoa, pouco ou quase nada adianta mudar um rosto.Medioli se refere, à ministra Dilma Roussef, que mesmo tendo passado por uma cirurgia plástica recente,para amenizar suas feições um tanto rijas, ainda, terá que abrandar e amansar seu "espiríto" duro e enérgico, revelado pelo olhos, pelo brilho do olhar. Um rosta mudado e um sorriso mais fácil, porém,com um olhar frio, sem brilho, resultando num olhar de aço...que ainda poderá causar alguns temores, facilitando a campanha de outros candidato ao planalto central... Marco Tulio Chiabi

Jornal CIDADES - jcidades@gmail.com
Igarapé/MG - 15/01/2009 - 11:27:01

2 comentários:

Anônimo disse...

Penso que seu pensamento politico ou mesmo partidario não deve aflorar com tamanha veemencia em seu BLOG.
Conheço o Sr. Vittorio e sua opinião não condiz com a personalidade dele.

Questão de opinião!!!!

Isso é bem típico de PTista revoltado!!

Alexander José de Freitas disse...

Amigo, o "Articulista" é mesmo um "artista", uma obra prima dessas só podia ter saido da cabeça oca do "Senhorinho" Vittorio! Sobre o assunto Battisti ele disse a mim em um e-mail mal educado e mal escrito que é o único que pode falar do assunto com propriedade, porque o Aécio o indicou como relações exteriores sobre assuntos italianos, alem de ter feito uma viajem com ele à Itália! Confidenciou-me que "erra muito porque usa línguas neo-latinas, francesismos e italianismos ao escrever! Porém você disse que não há quem o refute, há sim, só que ele censura tudo que não lhe convém! Aquele sujeito é o que podemos chamar de "Porci Fachista"! E vamos ouvindo asneiras e besteiras, ou seja os "artigos" do Doutor Vittorio Medioli e sua patroa Dona Lalá!

 

©2009 Língua de Trapo | Template Blue by TNB