O 21 DE ABRIL E A TRUCULÊNCIA DO ALCAIDE DA CAPITANIA HEREDITÁRIA DAS MINAS GERAIS

|


Lâmbido do blog do Fórum Social Sindical


No dia da liberdade em Ouro Preto, Aécio faz lembrar os tempos da ditadura

O 21 de abril em Ouro Preto mostrou uma Minas dividida. Desde a ditadura não se via tamanha repressão no dia e na terra da Liberdade. Contrariando a tradição, o governador Aécio Neves ordenou que a Praça Tiradentes fosse totalmente cercada por três barreiras com policiais fortemente armados.

Só entrava na Praça Tiradentes quem portasse uma pulseira azul, que era distribuída por funcionários do governo e membros do PSDB. O ato oficial, que lançou as comemorações do ano da França no Brasil, foi transformado em uma atividade de campanha eleitoral de Aécio.

A repressão era tão forte que deixou praticamente todos sem acesso `a praça. Apesar de ter alugado centenas de ônibus e pago 30 reais para jovens balançarem bandeiras do PSDB, via-se pouca gente acompanhando as festividades.

O autoritarismo implementado tinha o objetivo de impedir a entrada de sindicalistas e militantes sociais que foram para a cidade protestar justamente contra a forma policial que é tratado por parte do governo o movimento social mineiro. Mas praticamente todo mundo ficou de fora da festa.

“Vim de carro de Belo Horizonte especialmente para acompanhar a entrega das medalhas, todo ano faço isso, mas hoje fui impedida pela polícia”, reclamava com frustração e indignação Rosangela Macedo, que estava acompanhada dos filhos e chorava na frente de policiais fortemente armados.

Protesto

Por ironia do destino, o slogan escolhido pelo movimento social de Minas para protestar no 21 de abril foi justamente: “Com Aécio, Minas não respira liberdade”. Reunidos em frente a Igreja das Mercês, fora das barreiras policiais, mais de mil pessoas denunciaram o caráter elitista e repressor que tem o governo de Aécio Neves.

A atividade foi organizada por mais de trinta sindicatos e entidades sociais mineiras, aglutinados pelo recém criado Fórum Sindical e Social. A presença teria sido muito maior não fosse a repressão cometida pela Polícia Militar durante todo o trajeto de BH para Ouro Preto. Os ônibus com manifestantes eram parados mais de três vezes, passando por revistas individuais que demoravam mais de uma hora.

Unidade

A atividade organizada pelo movimento social mineiro em Ouro Preto marcou a grande unidade criada em oposição ao governo Aécio Neves. “Grande parte das entidades estão aqui hoje e isto mostra que este governo não representa nossos interesses. O que vimos nestes anos por parte do Aécio foi um governo neoliberal, repressor, que sempre perseguiu os sindicatos e serve apenas aos empresários”, denunciou Julio César Silva, que é diretor do Sindieletro e um dos coordenadores do Fórum Sindical e Social.

Praticamente todos os militantes que falavam na manifestação comemoravam a unidade alcançada na contrução da atividade em Ouro Preto. Citando trecho da música de Paulinho da Viola, que diz, “da unidade sai a novidade”, o presidente da União Colegial de Minas Gerais, Flávio Panetone, afirmou que não é mais tolerável a política neoliberal e conservadora desse governo. “Já chega, precisamos de educação de qualidade e valorização do povo”. Panetone afirmou que manifestações como aquela é que mostrará o que Minas precisa.

Hilton Timóteo Rodrigues, que é morador ouropretano e diretor do Sindicato dos Servidores da UFOP, relatou que o clima de repressão implementado no 21 de abril começou dias antes na cidade. “Hoje que para nós é de festa, está um terror, quem não tiver a pulseirinha azul não pode passar, só poderemos transitar livremente de novo, quando o governador for embora”, lamentou indignado.

O Diretor do Sind-Saúde Contagem, José da Conceição, afirmou que o ato serve para mostrar os desmandos e hipocrisia que permeia o governo de Aécio. Para o sindicalista, esse é um governo contra os movimentos sindicais que lutam pelo trabalhador. “Olha esse exemplo, esse cercamento a cidade é uma afronta a Constituinte Brasileira que nos dá o direito de ir e vir. Formos cercados, revistados, tratados como marginais”.

É o maior cordão de isolamento da história”, denunciou o deputado estadual Carlin Moura (PCdoB), único parlamentar presente no protesto. “Isso mostra como foi o governo de Aécio nesses quase sete anos. Na homenagem a França, ele fala de liberdade, fraternidade, o lema da Revolução Francesa, mas ficou somente no discurso, pois se mostra um verdadeiro Luiz XV, um ditador”, desabafou Carlin, que considera essa atitude, uma demonstração de mentalidade atrasada do governador.

Crise

Vandeley Martini, da direção nacional do MST, afirmou que um dos objetivos do ato também era cobrar do governo do estado uma postura diante da crise econômica. “Minas é o estado que mais sofre com a crise, em função da decadência do setor de mineração. A sociedade está cobrando uma postura em relação a crise. O governo do estado precisa viabilizar medidas que façam com que a crise atinja menos possível os trabalhadores, mas até hoje nada foi feito”.

O presidente da CUT Minas, Marco Antônio denunciou o sucateamento das estatais e a política desenfreada de privatização no Estado. Segundo ele, esse é um dos motivos pelos quais Minas mais demitiu trabalhadores com a crise. “Ainda amanhã, dia 22, haverá fechamento de mais uma mina em Brumadinho. O governo do estado tem que apresentar alternativas para enfrentar a crise como faz o presidente Lula”.

Medalha da Conjuração

Na atividade do movimento social também teve entrega de medalhas. Em contraponto `a Medalha da Inconfidência, entregue pelo governo do Estado, lutadores mineiros foram homenageados com a Medalha da Conjuração, que foi indicada pelos membros do Fórum Sindical Social. Segundo Gilson Reis, presidente do Sinpro Minas e da CTB, “foi uma forma de valorizar os que sempre lutaram pela libertação do povo, muitos deles, morreram lutando pela liberdade”.

Os homenageados foram:

Frei Gilvander
Ênio Bonemberg
Gilse Cosenza
Helena Greco
João Batista Rebouças
Euler Ribeiro
Célio de Castro
Lúcio Célio Guterres
Clodesmidt Riani
Dazinho
Eliana Silva de Jesus
Eloi Ferreira
O motorista e os fiscais assassinados em Unaí,
João Calazans
Ondina Pedrosa Nahas
Edgar da Matta Machado

5 comentários:

Yvy disse...

Luiz, o povo liberto das Minas Gerais, SIFU.
Pior, se o povo brasileiro não acordar em tempo, também vai SIFU.

Abrs

Anônimo disse...

Não era só a Praça Tiradentes que estava fechada. Eu estava na Barra e não consegui sair de lá. Estou divulgando meu "manifesto":

PARA FRANCÊS VER



A festa da França no Brasil na cidade de Ouro Preto ontem, dia 21 de abril, foi algo um tanto quanto “inusitado”. Apesar de a imprensa estar divulgando que Milton Nascimento e Bibi Ferreira cantaram na Praça Tiradentes para a população na comemoração do ano da França no Brasil, os governantes mineiros esqueceram de abrir as “portas” para o povo. Estava em Ouro Preto e vi a coisa mais I-N-A-C-R-E-D-I-T-Á-V-E-L de que já tive notícias: os organizadores do evento FECHARAM a cidade e proibiram a circulação de carros E DE PEDRESTRES: nem turistas, nem moradores da cidade. Ninguém foi convidado para a festa. Vimos pessoas que diziam para os guardas que cercavam as passagens da cidade coisas como "moço, mas eu trabalho ali, como eu faço, vou perder o meu dia de trabalho?" e os guardas respondiam apenas "vai, estou cumprindo ordens". Minha amiga que tentava chegar a pé a uma feira de artesanato de pedra sabão também não pode passar e falou para um policial que eles estavam ferindo um direito constitucional (o direito de ir e vir), ele concordou, disse que sabia disso, mas que não podia fazer nada. E a TV mostra Milton Nascimento cantando para francês ver e ainda diz que o povo brasileiro viu também. Em Ouro Preto ontem só circulavam helicópteros. Os franceses e os governantes mineiros viajam de helicóptero. Carros e pedestres não eram bem vindos na cidade e foram simplesmente EXPULSOS de lá. Eu e meus amigos desistimos e fomos passar o dia 21 de abril na cidade de Tiradentes. Uma opção. Lá as pessoas não foram proibidas de circular pela cidade. Tenho dó da população da cidade de Ouro Preto que vive sabendo que só é vista e percebida como “gente” quando eles precisam dos votos (ouvi isso da moça que trabalha no hotel onde estávamos, quando depois de muito custo, conseguiu chegar ao trabalho). O ano da França no Brasil em Ouro Preto começou assim: francês fica e brasileiro sai. Foi uma experiência nunca vista e nem imaginada em minha vida. Eu não sei se é pior o que vi ou o discurso dos meios de comunicação exaltando a festa como se ela realmente tivesse existido. Eles transformaram a cidade de Ouro Preto em uma sala de casa, apenas para convidados vips e esqueceram das pessoas que são a alma da cidade: seus moradores e turistas... Onde ficaram todos (absolutamente TODOS) os nossos direitos? Na gaveta de algum palácio desses nossos políticos que têm o rei na barriga, mas esqueceram de gerar cidadania.

Beatriz - biaramsthaler@uol.com.br

Anônimo disse...

É craro, nos de esqerda, Lulistas e petistas em geral ... entramos em orgasmo múltiplo.

Eles, vao á forra.

É ficar de olho pois, de agora em diante, a Fábrica Nacional de Dossies e Mentiras vai atacar JB.

A Rolha de Sumpaulo vai aparecer c/ ficha fajuta, o Estragao vem c/ lorotas e depoimentos de qlqr Dotô de Mrda Nenhuma da onde???

USP ... é craro.

A usina de fazer patroes e nazi-fascistas, q os paulistas inventaram.

E pústulas como Noblatblablá vao pedir vaias aop Ministro Barbosa e coisa e tal ...

É só aguardar a bancada Dantas mostrar as patas ...

Aguardemos, aqeles, q apoiemos ele, o Ministro Barbosa, O CARA!

Inté,
Murilo

Blog do Morani disse...

Bom dia, Lingua de Trapo:

Ora, ora... finalmente pude localizar seus comentários! Foi um prazer encontreá-los quando acessava a "Minha Conta" de meu blog! Até à última vez que acessei o meu espaço, não estava lá a relação de seu blog. Mas eis que de repente o acho. Sobre o caso do bate boca no recinto do TSE, abraço e congratulo-me ao DOUTOR JUIZ JOAQUIM BARBOSA, UM NEGRO DE UMA RAÇA DE FIBRA! o reizinho Gilmar Mendes, cheio de dedos, ouviu o que precisa ter ouvido de todos os brasileiros que se envergonham desse sistema que corre solto por aí! Tenho quase certeza de que o Ministro da Justiça do governo Lula irá "aposentar" o HOMEM E JUIZ BARBOSA; a Turma da Fofoca do Palácio irá encher seus ouvidos para que aja dessa maneira, ao invés de por para fora, com a ponta da bota, aquele que enodoa a Justiça Brasileira e que a destrói com sua arrogância e prepotência! Tirem a coroa do reizinho e a coloquem à cabeça e mente claras do JUIZ NEGRO (com muita honra para ele!)

Blog do Morani disse...

23/04/09

Desculpem-me, mas não falo a mesma língua e não é por que torça por esse ou aquele partido, por qual e tal elemento, por esse ou aquele parlamentar, que para este blogueiro que comenta, aqui e agora, são todos pérfidos, imorais, capciosos, falastrões e indignos das posições que ocupam no cenário político e judicial brasileiros. Por favor, esqueçam e digam NÃO ao: Patrus Ananias, Azeredo, Camata, Demostenes, PSDB, PT, DEM,Dilma e outros participantes ativos dessa curriola que está acabando com o nosso País! O nossos heróis do passado estão a se contorcer em suas sepulturas! Não entorpeçamos nossas consciências ou nossas memórias! Dê-se um guinada de 360°, mas nem à direita nem à esquerda e nem ao centro. Façamos tudo para honrar a Pátria Brasileira, que anda orfã do amor do povo engabelado por promessas vãs e ledos enganos. Chega de promessas, de tapinhas às costas, de sorrisos amarelos, de máscaras de alfenin a esconder as verdadeiras e monstruosas faces dessas maus brasileiros! Ainda há tempo!
Abraços de quem abraça só uma causa: à dos injustiçados desse povo sofrido e tocado como gado ao matadouro; que ama, acima de tudo e de todos, esse BRASIL BRASILEIRO guiado com imperícia.

 

©2009 Língua de Trapo | Template Blue by TNB