PRIVATARIA NO IRÃ - A SAFADEZA DOS TUCANOS FAZENDO ESCOLA NAS TERRAS DO PROFETA MAOMÉ

|

Lambido do Portal Terra
Cada republiqueta tem o DANIEL DANTAS que merece!
JULGAMENTO DE MAIOR ESCÂNDALO BANCÁRIO DO IRÃ TEM INÍCIO
Trinta e dois suspeitos de envolvimento numa fraude bancária multi-bilionária foram levadas a julgamento em Teerã, reportou a agência de notícias estatal iraniana. Os acusados supostamente têm conexões com o governo do presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad.
O caso de apropriação indevida consiste na acusação de uso de documentos forjados pelo empresário iraniano Amir Mansour Khosravi para assegurar empréstimos. O valor adquirido seria usado para comprar empresas controladas pelo Estado sob o esquema de privatizações do governo.
O empresário é acusado de conseguir cerca de US$ 2,6 bilhões de vários bancos iranianos.
O presidente Ahmadinejad negou acusações de seus rivais de que Khosravi tinha conexões com o chefe de seu gabinete presidencial, Esfandiar Rahim Mashaie.
Os réus e seus advogados compareceram a um dos tribunais revolucionários de Teerã, que foi aberto à imprensa, neste sábado, reportou a Irna.
A notícia não nomeou nenhum dos acusados, mas acredita-se que o grupo inclua Amir Mansour Khosravi e Mahmoud Reza Khavari, o antigo presidente do Bank Melli, que fugiu para o Canadá após a fraude ter sido descoberta no ano passado.
"As atividades da empresa de desenvolvimento são um exemplo de grupo organizado que minou a segurança econômica da sociedade", disse o procurador-geral de Teerã, Abbas Jafari Dolatabadi, citando trechos da acusação de 200 páginas.
As acusações mais sérias são de que o empresário foi "corrupto" ao atrapalhar a economia por meio de conluio, propagando fraude no sistema bancário, adquirindo riquezas por meios ilícitos, fraudes e utilizando documentos falsificados.
Caso os réus sejam declarados culpados, podem ser condenados à morte.

2 comentários:

Web Center disse...

Qualquer semelhança com os vigaristas daqui, não é mera coincidência!

Lingua de Trapo disse...

Pois não é!

 

©2009 Língua de Trapo | Template Blue by TNB