ENTRE PICADAS E BEIJOS - AGITAÇÃO NO NINHO DOS TUCANOS

|


Dizem que está tudo bem e que o PSDB está unido para apresentar um "projeto para o Brasil". (AI QUE MEDO!) Mas será que isso é mesmo verdade? Bem, quanto ao projeto para o Brasil e, vindo do PSDB, já dá até para imaginar o que vem por aí. Mas quanto à união do partido, a peregrinação dos últimos 15 dias de caciques do DEMO-TUCANATO à Belo Horizonte, combinada com os movimentos de José Serra, deixa todos de orelha em pé. E mais, essa conversa mole do Senador Sérgio Guerra de que 90% do dizem por aí são intrigas, não esconde outra coisa senão a ânsia de Aécio Neves e de José Serra definirem logo quem vai para as urnas em 2010.

Aguardem os próximos capítulos, a coisa promete ficar boa. Enquanto isso, leiam a reportagem sobre o imbróglio tucano lambida hoje da coluna de política do jornal Hoje em Dia.


Serra evita racha com Minas
Alex Capella


A caravana tucana rumo a Belo Horizonte, iniciada desde a posse do ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB), nomeado secretário de Desenvolvimento do Governo José Serra (PSDB), ganhou ontem a presença do deputado federal Carlos Sampaio, secretário de Relações Intersindicais da Executiva Nacional do PSDB. Assim como os demais companheiros de legenda, Sampaio, após encontrar-se com Aécio Neves, ressaltou que a nomeação de Alckmin “prestigia” o governador mineiro. Afinal, lembrou o tucano, o novo secretário de Serra “não mudará” sua posição por causa de um cargo no Governo paulista.

No ninho tucano, não é segredo para ninguém que Serra tem sérias restrições às posições do ex-governador Geraldo Alckmin que, por sua vez, não perde a oportunidade de criticar o estilo do governador paulista que “reelegeu” o prefeito paulistano Gilberto Kassab (DEM). O membro da Executiva do PSDB sabe que o bom relacionamento de Alckmin com Serra interessa aos dois, mas lembra que o novo secretário é um “grande amigo” de Aécio. “Quem conhece o Geraldo Alckmin, sabe que ele não mudará a sua posição por causa de uma nomeação”, disse o deputado Sampaio.

Assim como Serra tem interesse na “parceria” com Alckmin, o ex-governador trabalha para voltar a ter chance de ser candidato ao Governo de São Paulo, após ter fracassado na tentativa de ter sido eleito prefeito no ano passado.

Mas, para alguns interlocutores de Alckmin, o fortalecimento de Aécio facilitaria esse caminho, já que o governador mineiro não tem amarras com o DEM paulista quanto Serra. O próprio Sampaio confirma que o voto do governador mineiro tem peso dobrado em qualquer movimento da legenda. “Não existe cargo algum dentro do PSDB sem que se consulte ou se coloque o nome do governador em pauta como um possível candidato ou referendando um outro”, garantiu o membro da Executiva tucana.

Antes de Sampaio, o presidente da Assembléia Legislativa da Bahia, deputado Marcelo Nilo, já havia se encontrado com Aécio na capital mineira. Depois dele, foi a vez do senador Sérgio Guerra (PE), presidente nacional do PSDB e do deputado federal Paulo Renato (SP), ex-ministro da Educação do Governo Fernando Henrique.

A visita do tucanato paulista a Minas é vista como uma forma de o partido se manter unido até a realização das prévias, que podem apontar o representante da legenda em 2010. Sampaio evita falar em um racha entre Minas e São Paulo. “Não há discórdia interna. Concordo com o senador Sérgio Guerra: 90% disso que vem sendo dito é fantasia de quem não quer que a coisa flua bem. E a coisa está fluindo bem”, afirmou.

O deputado federal também defendeu as prévias como instrumento de definição do candidato, caso o partido não entre num consenso. A direção nacional do partido deverá ter, em março, a resposta da consulta feita ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sobre os impedimentos legais do modo de escolha. Segundo Sampaio, as prévias devem acabar com a falta de democracia no processo de escolha dos candidatos tucanos que, na maior parte das vezes, são impostos pela ala paulista da legenda.


“Antes, as decisões eram tomadas por uma cúpula. Hoje, elas são compartilhadas com os estados e municípios. Isso é um ganho para o partido e traz transparência. Com isso, o partido está mais motivando”, ressaltou.

Sampaio garantiu que no partido o único consenso é pelas prévias. A discussão sobre as prévias, nesse momento, segundo o deputado, é a prova de que o partido está caminhando unido para 2010.

“As prévias não são uma resposta a esse movimento (racha). A Executiva nacional do partido vem pregando as prévias há muito tempo com a concordância dos dois governadores (Aécio e Serra). E as prévias são o espaço onde todos os candidatos vão se colocar perante o partido no âmbito nacional”, assegurou.

No encontro que teve com Guerra, Aécio consultou o senador sobre a conveniência de viajar pelo país, a partir de março. Sampaio confirmou que, na pauta do encontro de ontem, o governador voltou a falar no assunto. O deputado lembrou que, por causa das prévias, o governador de São Paulo também fará uma romaria pelo país.

“O governador Serra também defende as prévias e vê nelas um movimento importante para que ele possa viajar pelo país e conversar com os delegados do partido. Isso é democrático e bom para todo o partido. Agora, essa agenda não está confirmada”.

1 Comentário:

YvyBrussel disse...

Eles são ridiculos... nada fizeram, nada fazem e nada farão. O povo precisa se ligar. Na armadilha desta velharada cansada.

 

©2009 Língua de Trapo | Template Blue by TNB