SINHAZINHA SECRETÁRIA DO VICE GOVERNADOR DE MINAS GERAIS CHAMA SEGURANÇA DE LOJA DE CRIOULO E DE MACADO - EM MINAS É ASSIM, PRETO É PARA "SIFU"

|


A reportagem que embasa esta postagem e que faz a denúncia desta barbaridade é do Novo Jornal, o último fiapo de decência da imprensa de Minas Gerais.

O que levou a Sinhazinha Marcela Amorim Brant a envolver-se neste triste episódio, além do costumeiro desrespeito que têm alguns poderosos para com aqueles mais humildes, subordinados ou de cor, foi a irresistível prerrogativa da urgência, que além de ser um (mau) hábito, é um recurso muito utilizado pelas sempre atarefadas dondocas de Belo Horizonte quando querem estacionar seus carrões em filas duplas, em locais proibidos, enfim, onde der na cabeça e que lhes sejam de maior conveniência.

A Sinhazinha Marcela Amorim Brant, é filha do ex-Deputado mensaleiro Roberto Brant, que aparece na foto aí em baixo com seu clã familiar comemorando sua absolvição do episódio do mensalão em 2006. A Sinhazinha está ao lado dele. Papai Brant é membro de um tradicional clã político de Belo Horizonte e que é acostumado a ocupar altos postos na administração direta, autarquias e em empresas públicas do estado. Coincidência ou não, algumas delas já extintas, quebradas ou privatizadas, como é caso da Minas Caixa, do Bemge e por aí vai.


Eu não posso garantir para vocês, mas duvido muito que a Sinhazinha Marcela, apesar de graduada em Administração pela UFMG e com EMIBIEI em Gestão de Empresas, tenha entrado para o serviço púbico passando por aqueles inconvenientes trâmites legais que a Constituição Federal determina e que estão explicitados no Título II, Capítulo I da Lei 8112/90, pois essa prática além de considerada muito arcaica pelos Headhunters do Choque de Gestão é, fundamentalmente, uma ofensa ao princípio da hereditariedade, tradição do período colonial guardada a ferro e fogo pelos clãs políticos em Minas Gerais.

A parte engraçada desta estória, se é que tem alguma, é que a Sinhazinha Marcela Brant é sobrinha do músico e compositor Fernando Brant, aquele mesmo que é parceiro de longa data de outro "Crioulo e Macaco", Milton Nascimento. Eu fico a imaginar, o que será que o titio deve estar pensando deste arroubo racista da Sinhazinha Marcela?

Mais o que mais assusta nesta estória toda, conforme denuncia o Novo Jornal, é o silencio das entidades de direitos humanos e o envolvimento dos altos escalões da polícia para tentar abafar o caso, pois da imprensa daqui não se esperava atitude diferente.

O incidente que teve como vítima o Segurança Antônio Carlos de Lima (foto) foi registrado pelo Tenente Wanderlino Patrício Santos no BO no. CIAD/P-2009-0014719 e entregue ao Agente da Polícia Civil Wesley Lopes Ávila de Oliveira na 1ª. Delegacia de Plantão da Seccional Sul da Polícia Civil, onde será dado curso ao caso. (VAMOS VER, EU DUVIDO MUITO)

REPRODUÇÃO DO HISTÓRICO DA OCORRÊNCIA

"AO SER ACIONADO PELO ENVOLVIDO 01, COMPARECI AO LOCAL DESCRITO NO ENDEREÇO SUPRACITADO, ONDE O MESMO ME RELATOU QUE TRABALHA COMO SEGURANÇA DA LOJA CATZ; QUE LÁ COMPARECEU A ENVOLVIDA 02 E ESTACIONOU SEU VEICULO HONDA CIVIC DE COR PRATA GZK 5361; QUE DIANTE DISTO, QUESTIONOU-A PERGUNTANDO SE IRIA USAR OS SERVIÇOS DA LOJA, CONSIDERANDO QUE SE TRATAVA DE UM ESTACIONAMENTO PRIVATIVO PARA CLIENTES; QUE A MESMA, SEM DAR IMPORTÂNCIA AO SEU QUESTIONAMENTO, DESLOCOU-SE PARA UMA ESCOLA ALI PRÓXIMO. QUE AO RETORNAR, ADMOESTOU-A NOVAMENTE, REITERANDO QUE O ESTACIONAMENTO ERA EXCLUSIVO PARA CLIENTES; QUE A MESMA DESLOCOU-SE AO INTERIOR DA LOJA, DIZENDO QUE IRIA QUEIXAR-SE DELE; QUE AO RETORNAR, DISSE-LHE AS SEGUINTES PLAVRAS: ( SEU CRIOULO, SEU MACACO, JÁ DEI QUEIXA DE VOCE LÁ DENTRO DA LOJA): QUE TAIS PALAVRAS FORAM OUVIDAS POR TODAS AS TESTEMUNHAS CITADAS NESTE BOLETIM; QUE ENTÃO, SEM NADA DIZER ACIONOU-NOS PARA DEMAIS PROVIDÊNCIAS; QUE APÓS TER ACIONADO A POLÍCIA, A MESMA O PROCUROU E DISSE-LHE QUE ERA PARA DESCULPÁ-LA E QUE DARIA QUALQUER COISA QUE ELE QUISESSE PARA NÃO DAR PROSSEGUIMENTO AO CASO; QUE DIANTE DE TAL PROPOSTA, NADA DISSE DANDO CONTINUIDADE A OCORRÊNCIA. SEGUNDO VERSÃO DA ENVOLVIDA 02, QUE REALMENTE HOUVE UMA DISCUSSÃO COM O ENVOLVIDO 01 POR CAUSA DO ESTACIONAMENTO; QUE REALMENTE, FICOU MUITO NERVOSA E POSTERIORMENTE, LHE PEDIU PERDÃO PELO OCORRIDO; QUE EM MOMENTO ALGUM CHAMOU-O DE MACACO E CRIOULO; QUE EM MOMENTO ALGUM TEVE A INTENÇÃO DE OFENDÊ-LO, SENDO QUE ESTEVE NA LOJA CATZ LOGO APÓS DEIXAR SEU FILHO NO CURSO DE INGLES. DIANTE DOS FATOS. REGISTRO ESTA PARA PROVIDENCIAS CABÍVEIS."

Clique aqui para você acessar a cópia e ler na íntegra o Boletim de Ocorrência.

Leia abaixo a íntegra da reportagem lambida do Novo Jornal.

Enquanto comemora-se a posse de um presidente negro nos EUA, elite governamental mineira pratica impunemente o racismo

Segurança Antonio Carlos de Lima Na última sexta feira (16), enquanto o mundo inteiro preparava-se para a posse do primeiro presidente negro eleito nos Estados Unidos, comemorando o avanço e amadurecimento de uma sociedade que já foi considerada uma das mais racistas do mundo, em Belo Horizonte, capital mineira, uma funcionária do primeiro escalão do governo praticava impunemente o racismo.

O segurança Antonio Carlos de Lima, funcionário de uma loja na região da Savassi, área nobre da capital, ao cumprir seu dever solicitando à secretária do vice-governador de Minas Marcela Amorim Brant, filha do ex-deputado federal Roberto Brant, para que não estacionasse seu veículo em local proibido, de uso exclusivo da loja, recebeu como resposta diversas ofensas, em clara prática de preconceito racial. "Seu crioulo, seu macaco, ja dei queixa de você lá dentro da loja".

Chamada, a Polícia Militar compareceu ao local colhendo depoimentos e o testemunho de quem presenciara o fato, encaminhando a secretária do vice-governador e o segurança para a delegacia.

O que ocorreria a seguir vem comprovar que em Minas Gerais, a lei não alcança aos que estão no governo.

O que até então era conduzido dentro da lei, tomou outro caminho. Os policiais que faziam a ocorrência passaram a ser pressionados por capitães e coronéis da Polícia Militar. Abertamente pretendiam interferir no trabalho dos policiais, na tentativa de impedir o andamento do boletim de ocorrência.

Antonio Carlos Lima, o vigia ofendido, fez questão de relatar à reportagem do Novojornal: "Agradeço aos tenentes e aos cabos da cia. 22 que, apesar da pressão sofrida, através de constantes telefonemas do alto escalão, fizeram seus trabalhos, garantindo a mim a integridade moral e emocional."

Embora o crime de racismo seja inafiançável, depois de quase 6 horas na delegacia, onde compareceu uma equipe de reportagem de TV, que gravou ao vivo, e outras equipes de reportagem já não mais tiveram acesso.

A tentativa de mudança de delegacia e o encaminhamento imediato da acusada para o fórum acabaram não dando em nada.

Até hoje, quase uma semana depois, nem mesmo uma nota sobre o assunto as entidades ligadas ao movimento negro e direitos humanos em Minas Gerais emitiu.

A situação dos direitos civis em Minas Gerais beira o absurdo, quando chegamos a ponto de membros do comando da Polícia Militar tentarem interferir para que seus subordinados não cumpram a lei, favorecendo a elite governamental e a demonstração cabal de que em Minas não existe lei para quem está no governo.

19 comentários:

rc disse...

Realmente asqueroso o comportamento - das "otoridades", da imprensa, das entidades de DH. Mas fiquei com uma dúvida: o estacionamento em que a moça entrou é fechado? ou é na rua? caso seja na rua, por que seria de uso exclusivo da loja?

Lingua de Trapo disse...

Deve ser no recuo da loja, provalmente uma casa.

Dois disse...

Independente do local do estacionamento, a ofensa foi pronunciada, eu mesmo não me levo por essas questões, sei que no sangue deles, tem muito de crioulo, sei que no seu modo de falar tem muito de crioulo, sei que no seu modo de viver tem muito de crioulo, e sei que sua condição de vida, é sustentada por muito crioulo. Mas aprovo e muito quem cobra tal punição, ainda mais quando se trata desses aí, que se acham os donos do mundo.

HELIO DE SOUZA BORBA disse...

Ao amigo Lingua de Trapo.A sua lingua não é de trapo é uma lingua a serviço do Brasil e dos brasileiros mais humildes e menos protegidos.O racismo aparece na hora da raiva , ele vem das entranhas da sociedade branca branca e branca morena do país.
Estamo na luta. Os tempos são outros.
Parabéns
Helio
APOSENTADO INVOCADO

aposentadoinvocado1 disse...

Lingua de Trapo , você não é uma lingua de trapo você é uma lingua a serviço do Brasil e dos brasileiros mais humildes e desprotegidos.
O racismo aparece na hora da raiva , sai das entranhas dos brancos brancos e dos brancos morenos.
A luta é nossa.
Parabéns
Helio
APOSENTADO INVOCADO

APOSENTADO INVOCADO 1 disse...

Lingua de Trapo , você não é uma lingua de trapo você é uma lingua a serviço do Brasil e dos brasileiros mais humildes e desprotegidos.
O racismo aparece na hora da raiva , sai das entranhas dos brancos brancos e dos brancos morenos.
A luta é nossa.
Parabéns
Helio
APOSENTADO INVOCADO

APOSENTADO INVOCADO 1 disse...

Lingua de Trapo , você não é uma lingua de trapo você é uma lingua a serviço do Brasil e dos brasileiros mais humildes e desprotegidos.
O racismo aparece na hora da raiva , sai das entranhas dos brancos brancos e dos brancos morenos.
A luta é nossa.
Parabéns
Helio
APOSENTADO INVOCADO

HELIO DE SOUZA BORBA disse...

Lingua de Trapo , você não é uma lingua de trapo você é uma lingua a serviço do Brasil e dos brasileiros mais humildes e desprotegidos.
O racismo aparece na hora da raiva , sai das entranhas dos brancos brancos e dos brancos morenos.
A luta é nossa.
Parabéns
Helio
APOSENTADO INVOCADO

Soldadonofront disse...

Língua, seu blog esta muito "pesado", lento, quase desisti de esperar.

!!@v@nte!!

Márcio disse...

Amigo Língua,

sei que devem ter seus motivos, mas gostaria de fazer uma sugestão de quem quer o melhor para este blog importante, corajoso e combativo:

- deixem os comentários serem publicados automaticamente(como o Cloaca e os Amigos) ou mediem os mesmos mais rápidamente.

A mediação demora muito e faz com que as pessoas ou achem que não enviaram os mesmos com sucesso( Ex: o Aposentado Invocado)e reenviem várias vezes, ou percam a motivação de comentar. Isto ocasiona a perda do tempo certo do assunto do post e de outros entrarem na discussão.

Um abraço

Anônimo disse...

respondendo a pergunta do rc, informo que o estacionamento é fechado e o Antonio é pessoa da melhor qualidade.

Anônimo disse...

É lamentavelmente chocante este caso! E é ainda mais, por saber que tenta-se abafar uma atrocidade destas.
O que se passa numa mente racista assim? Pensa-se de alguma forma que tem algo de superior, tão somente por causa da cor da pele? Será que algum dia o ser humano aprenderá a lidar com seu semelhante de forma verdadeiramente humana e sem preconceitos mesquinhos?
Como é lenta a evolução da mente humana...e tantas vezes tão medíocre!

Thiago Leite disse...

Ao chantagear Antônio, a sra. Brant demonstrou o medo que essa ordem arcaica (que ainda espera respeito por nomes de família como Brant e Corleone) tem de um sistema que tenta atender a todos com os mesmos direitos.

Anônimo disse...

Pura especulação.......... exagero

Anônimo disse...

Se for por isso, eu sou negro, tenho uma Hilux 2009 QUITADA e nunca discriminei ninguem.. Se eu vejo isso, eu passo por cima do civiczinho dessa coitada, que até deve ser financiado, pobre bixo essa loca... Se é comigo o estanho pega ela

Anônimo disse...

eu acho que isto ai está é completamente destorcido. eu estava na loja no dia do incidente e não aconteceu nada disso. pelo contrário, o segurança que agrediu a moça com palavras de baixo calão.

Anônimo disse...

Eu estava na loja nesse dia, e o que eu e a maioria das pessoas que estavam lá foi um grande desrespeito do segurança para com a moça. Sr, lingua de tarpo, favor apurar melhor os fatos antes de expô - los de forma erronea. E que eu mal lhe pergunte, qual o seu problema com a familia brant? Se nao é de seu conhecimento conhecimento , Roberto Brant não é mensleiro pois foi absolvido por unanimidade. Tome cuidado com sus palavras , elas podem voltar contra vc.

Anônimo disse...

IMPEDIDO; só hoje tomei conhecimento do fato e pergunto onde est´´a o Ministério Público diante da conduta criminosa dos comandantes ou superiores dos Policiais que atenderam o bo. Basta olhar para o codigo penal e conhstatar qeu talf conduta e crime...

Denuncia Ja disse...

Hey famíia Brant ! Respeito não se compra ! Essa moça, tenho dó da alma dela. Pois é uma pessoa POBRE, ridicula,

 

©2009 Língua de Trapo | Template Blue by TNB