SE TODO O PIG FOSSE FORMADO POR TORCEDORES DO CRUZEIRO, A MANCHETE SERIA ASSIM:

|


Mesmo tomando uma coça do Cruzeiro, Galo é Campeão em cima do nosso subproduto, o Ipatinga, o gatinho do Vale do Aço.

Aqui na belíssma Fortaleza Bela, o tricolorido Fortaleza, o Leão, que um dia já foi Stela, ou Estela, acaba de ganhar o seu 4o. título estadual consecutivo.

Nem tudo ficou em preto e branco.

Saudações Cruzeirenses

PS.: Como todos sabem, a única coisa que sou, antes de ser CRUZEIRENSE ou LULISTA CONVICO: ANTI-ATLETICANO

Mas, como o transcorrer do tempo nos exige, vou mandar um abraço para o (que gostaria que muito fosse meu amigo), o cara que morou em Belô, pai e genro honorário do paulinho.

Valeu Rei, pinta aqui na sexta-fera, vou te tratar muito bem!

Atlético vence Ipatinga de novo e festeja o 40º título mineiro

02/05/2010 17:53

Atualização:

02/05/2010 18:09

Os mais de 60 mil atleticanos presentes ao Mineirão explodiram em um único grito: “É campeão!”. O Atlético, que já havia vendido o Ipatinga no jogo de ida (3 a 2), voltou a superar o rival na decisão do Campeonato Mineiro ao fazer 2 a 0, neste domingo. Os gols da festa alvinegra foram marcados pelos grandes ídolos da torcida no momento: Diego Tardelli e Marques.

Foi o 40º título estadual nos 102 anos de história do Galo, maior vencedor da competição.

A festa tomou conta do Mineirão, mas os atleticanos têm pouco tempo para comemorar. Na próxima quarta-feira, o time faz o jogo de volta pelas quartas de final da Copa do Brasil. Joga pelo empate contra o Santos, na Vila Belmiro.


Jorge Gontijo/EM/D.A Press
Os campeões mineiros de 2010

Sem gols, bom para o Galo

A primeira etapa da decisão só não foi melhor para o Atlético porque o time não marcou gol para ampliar sua vantagem. O Ipatinga, ofensivamente, não passou de uma chance de gol, defendida por Aranha logo aos três minutos.

Depois disso, só deu Galo, mais uma vez explorando com inteligência o regulamento da competição. Se não foi um bombardeio de chances, o domínio alvinegro significou bastante posse de bola, ideal para gastar o tempo.

Trabalhando a bola, o Atlético teve oportunidades para marcar. Aos dez minutos, Muriqui avançou pela direita, cruzou e Fabiano bateu. O goleiro Douglas defendeu. Aos 30, Diego Tardelli invadiu a área e chutou fraco, para a defesa de Douglas com os pés.

No final do primeiro tempo, outra chance. Tardelli avançou, invadiu a área, mas tentou driblar ao invés de finalizar e o zagueiro cortou. O atacante atleticano pediu pênalti, mas árbitro Paulo César Oliveira não marcou.

Festa completa

Logo no recomeço da partida, o Atlético não comemorou por muito pouco. Num rápido contra-ataque, Fabiano lançou Tardelli, que cruzou na cara do gol para Muriqui. Livre, e sem goleiro, o atacante se enrolou na finalização, para lamento dos mais de 60 mil atleticanos presentes ao Mineirão.

Para a festa ficar completa, o artilheiro Diego Tardelli entrou em ação. Aos 25 minutos, outra jogada em velocidade. Desta vez, Muriqui cruzou e o camisa 9 do Galo mandou para as redes: 1 a 0. O suficiente para o Mineirão explodir em um só grito: “É campeão!”.

Em seguida, outro grito tomou conta do estádio: “Olê, Marques!”. O pedido da torcida foi atendido por Vanderlei Luxemburgo aos 33 minutos, logo após Muriqui perder outra oportunidade de frente para o gol. Três minutos depois, foi a vez de Tardelli errar a finalização frente a frente.

Para selar o título, brilhou a estrela de Marques. Ele tabelou com Ricardinho, recebeu na área e tocou na saída do goleiro: 2 a 0, mais festa, mais um troféu do Campeonato Mineiro para a galeria do Atlético.

Ficha Técnica

Atlético: Aranha; Carlos Alberto, Werley, Jairo Campos e Leandro (Júnior); Zé Luís, Correa (Cáceres), Ricardinho e Fabiano; Diego Tardelli e Muriqui (Marques). Técnico: Vanderlei Luxemburgo

Ipatinga:
Douglas; Luisinho (Joabe), Sílvio, Max e Marinho Donizete; Max Carrasco, Leanderson, Afonso e Reina; Francismar (Muller) e Danilo Dias. Técnico: Gílson Kleina

Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Público: 60.704 pagantes
Renda: R$ 1.209.800,00
Árbitro: Paulo César Oliveira (Fifa-SP)
Assistentes: Alessandro Matos (Fifa-BA) e Marcelo Gasse (Fifa-SP)
Motivo: Finalíssima do Campeonato Mineiro 2010

4 comentários:

Dois disse...

em Minas não existe "cruzeirense", existe oposição ao atlético, e todos sabem que o assunto da oposição é O Galo e que seu maior desejo se chama Atlético!

Roberto M Almeida disse...

Eu até que gosto do seu blog, temos afinidades polítcas mas o fato de ser cruzeirense te estraga. hahahhah

jozahfa disse...

Cada cabeça uma sentença, mas esse negócio de ser anti qualquer coisa é, como dizem os gringos, bullshit!
Além do mais, incoerência sua ser lulista e anti-atleticano.
Ou você acha que se Lula torce para algum time de Minas torce para quem?
Saudações atleticanas!

Anônimo disse...

Ops.! Entrei aqui por engano. Pensei que fosse um blog que comentava política.
Desculpe, prá ler bobagens vou ali no Kibe Loco, pelo menos tem coerência.
Beijo crianças.

Suelen / Sampa

 

©2009 Língua de Trapo | Template Blue by TNB