Os detalhes da pesquisa DataFolha em BH

|

Não poderia me furtar de comentar a pesquisa do Datafolha, cuja nota técnica só consegui há alguns instantes.

Comparada com a pesquisa do Ibope, apesar de algumas diferenças nos cortes e na amplitude, esta pesquisa mantém, também, a ampla vantagem de Quintão sobre Lacerda no eleitorado entre 16 e 34 anos.

O estreitamento da diferença entre Quintão e Lacerda em relação à pesquisa do Ibope, vislumbra-se na faixa etária dos eleitores entre 35 e 44 anos, dos de renda entre 5 a 10 salários mínimos e os de escolaridade superior.

Nos demais quesitos comparados, Quintão apresenta a mesma solidez apresentada pelos dados da pesquisa do Ibope.

O Datafolha apresenta, ainda, o potencial de transferência de votos dos eleitores de Jô Moraes que, como supunha, a maior parte irá para Leonardo Quintão.

Finalmente, a pesquisa DataFolha estabelece correlações entre a popularidade de Aécio e Pimentel com o canditados, mas não explica porquê Lacerda não se beneficia da mesma.

Em relação às minhas conclusões do post anterior, eu as mantenho e, continuo acreditando, ainda, que mesmo com uma diminuição da margem, Quintão será o provável vencedor do segundo turno.

Finalmente, para quem gosta de estatística ou, queira apenas compreender melhor o perfil e as predileções do eleitorado, estou deixando os links para os sites do Ibope e o Datafolha.

Clique aqui para ver a pesquisa do Ibope.
Clique aqui para ver a pesquisa do Datafolha.


NOTA TÉCNICA DA PESQUISA DATAFOLHA

Leonardo Quintão lidera com 47%, Márcio Lacerda tem 37% Quintão (PMDB) tem 56% dos votos válidos, Lacerda (PSB), 44%

Na primeira pesquisa de intenção de voto no segundo turno em Belo Horizonte, o Datafolha revela que Leonardo Quintão (PMDB) está na frente com 47% das intenções de voto, contra 37% de Márcio Lacerda (PSB). Votos em branco ou nulo totalizam 8%, indecisos, 7%.

Em relação aos votos válidos, Quintão está com 56% e Lacerda, 44%. O Datafolha exclui da amostra o percentual de votos brancos, nulos e os eleitores indecisos para se calcular os votos válidos.

No primeiro turno, Leonardo Quintão teve 41,26% dos votos válidos, contra 43,59% de Márcio Lacerda. A Justiça Eleitoral divulga os votos válidos nos resultados oficiais, onde se excluem os votos brancos, nulos e as abstenções.

Foram ouvidos 1007 eleitores, em Belo Horizonte, nos dias 16 e 17 de outubro. A margem de erro da pesquisa é de três pontos percentuais, para mais ou para menos.

Leonardo Quintão se destaca entre os eleitores mais jovens, de 16 a 24 anos (55%) e de 25 a 34 anos (53%), entre os que possuem ensino médio e renda de mais de dois a cinco salários mínimos (51% para cada), e entre os simpatizantes do PMDB (65%). Também obtém bom desempenho entre os que avaliam o governo de Lula como ruim ou péssimo (52%), e entre os que consideram o governo de Aécio Neves e do prefeito Fernando Pimentel como regular (60% e 58%, respectivamente), ou ruim ou péssimo (59% e 61%, respectivamente).

Márcio Lacerda tem melhor desempenho entre os eleitores da faixa etária de 45 a 59 anos (41%), com renda de mais de cinco a 10 salários mínimos (44%), e entre os simpatizantes do PT (48%) e do PSDB (60%). Destaca-se também entre os que avaliam positivamente os governos de Aécio Neves e de Fernando Pimentel (42% e 44%, respectivamente).

Dos que declaram ter votado em Jô Moraes no primeiro turno, 43% dizem que agora votarão em Leonardo Quintão, ante 26% que afirmam votar em Márcio Lacerda. Nesse caso, 13% dizem votar em branco ou nulo, e 18% ainda estão indecisos qual dos candidatos irá apoiar. Vale lembrar que a candidata do PC do B declarou seu apoio ao candidato do PMDB.

Perguntados sobre o conhecimento do número do candidato, 76% dos eleitores da capital mineira sabem que número digitar na urna eletrônica, contra 19% que desconhecem o número de seu candidato e 5% que deram respostas incorretamente. Entre os eleitores de Quintão, 85% conhecem seu número, percentual este que é de 75% entre os eleitores de Lacerda.

Sobre o momento em decidiram seu voto no primeiro turno, metade dos eleitores belorizontinos (50%) disseram ter decidido pelo menos um mês antes da eleição. Já 15% tomaram essa decisão 15 dias antes, assim como aqueles que decidiram no próprio dia da eleição. Os que decidiram na véspera da eleição são 10%, e 9% tomaram a decisão uma semana antes. Outras respostas somam 2%.

63% DOS ELEITORES DE BELO HORIZONTE APROVAM LULA

O percentual dos eleitores da capital mineira que avaliam o governo de Lula como ótimo ou bom, manteve-se estável em relação ao levantamento realizado nos dias 04 e 05 de setembro (de 65% para 63%). Os que o avaliam como regular subiu de 25% para 29%, e como ruim ou péssimo, passou de 9% para 8%.

A média atribuída ao presidente é de 7,1, numa escala de 0 a 10. No levantamento anterior essa média foi de 7,0. Os que atribuem uma nota entre sete e dez, que eram 64% no início de setembro, agora são 66%.

80% APROVAM GOVERNO DE AÉCIO NEVES

Para 80% dos eleitores de Belo Horizonte, o governo de Aécio Neves é ótimo ou bom. Esse percentual se manteve estável em relação ao levantamento do início de setembro (82%). A oscilação dos que o avaliam como regular foi de 13% para 15%, e dos que o avaliam como ruim ou péssimo se manteve em 4%.

O governador obtém média de 7,8, numa escala de 0 a 10, dois décimos abaixo da média anterior (8,0). Atribuem uma nota entre sete e dez, 78% do eleitorado.

Aécio Neves tem bom desempenho entre os que afirmam votar em Márcio Lacerda (nota 8,4) e entre os que avaliam como ótimo ou bom o governo de Fernando Pimentel (nota 8,2).

72% APROVAM O GOVERNO DE FERNANDO PIMENTEL

Após completar seis anos e onze meses de governo, o desempenho de Fernando Pimentel é considerado ótimo ou bom por 72% do eleitorado da capital mineira. Esse percentual vem se mantendo sempre acima dos 70% nos últimos levantamentos realizados pelo Datafolha (77% nos dias 29 e 30 de setembro e 76% nos dias 17 e 18 de setembro).

Consideram seu governo regular, 20% dos eleitores, e 5% consideram-no ruim ou péssimo.

A nota média atribuída ao prefeito caiu três décimos (de 7,7 para 7,4), numa escala de 0 a 10. O percentual dos que atribuem uma nota entre sete e dez caiu de 78% para 70%.


São Paulo, 17 de outubro de 2008.

1 Comentário:

MARCIO COSTA disse...

Srs,

cuidado com os números da pesquisa Data Folha! Se a mesma aceitou pressões de Aécio para que a primeira não fosse divulgada, logo após o primeiro turno, há grandes possibilidades da mesma estar manipulando esta, manobrando com a margem de erro e assim dar mais incentivo à tentativa de virada por parte de Lacerda,juntamente com a corja de traíras do PT de BH + a corja de puxa-sacos do Menino do Rio!

 

©2009 Língua de Trapo | Template Blue by TNB